28% dos EUA acreditam que vacina contra o Coronavírus será usada para implantar microchips

Se você ainda não está preocupado com os perigos da desinformação em massa causada pelas redes sociais, eu estou. E a situação fica cada vez mais surreal.

Veja, por exemplo, essa noticia publicada no Canaltech. Que relata o resultado preocupante de uma pesquisa conduzida pelo Yahoo! em conjunto com a britânica YouGov.

A pesquisa concluiu que nada menos do que 1 em cada 4 americanos acredita que “‘Bill Gates quer usar a campanha de vacinação em massa contra a COVID-19 para implantar microchips [nas pessoas], os quais poderiam ser usados para rastreá-las com uma ID digital’”.

Por mais absurda que seja a afirmação, o número sobe para 44% entre os eleitores de Donald Trump.

É falso que prefeito de Campo Mourão tenha dito que município não precisa de respiradores do governo Bolsonaro

Notícia falsa publicada no site i44.com.br mostra imagens de respiradores e ventiladores mecânicos conquistados para o município pelo deputado federal Ricardo Barros, acompanha de uma trecho de vídeo cortado na tentativa de atribuir ao prefeito do município, Tauillo Tezzelli, a frase de que o município não precisaria de respiradores enviados pelo Governo Bolsonaro.

O que fica claro no vídeo, no entanto, é a conclusão do prefeito de que não é apenas com respiradores que se monta um leito de UTI, como vem sendo observado inclusive por outras lideranças políticas do Estado.

A forma como o vídeo foi montado e a manchete descolada da notícia deixa evidente se tratar de uma notícia falsa.

Em tempos de pandemia, é preciso cuidado para que respiradores e ventiladores não se acumulem em corredores de hospitais por falta dos recursos necessários para que sejam instalados enquanto faltam em outros municípios nos quais poderiam ter sido aproveitados.

Mentiras presidenciais

Segundo o colunista Josia de Souza em artigo publicado no portal UOL, no afã de divulgar qualquer notícia boa a respeito do governo Bolsonaro nas redes sociais o governo anda criando pessoas “comuns” com nomes falsos e imagens compradas na Intenet.

É a institucionalização da mentira presidencial.

Nada mais importa como é, apenas como se quer parecer.

É a noticia do “gostaria que fosse assim”. Mesmo que para isso o único caminho seja mesmo mentir.